Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2011

Sebastião da Gama entre os "Poetas (d)e Azeitão"

O título “Poetas (d)e Azeitão” diz tudo – a naturalidade ou a temática azeitonense presentes na poesia ao longo dos tempos. Simultaneamente, uma homenagem aos poetas locais, com particular incidência nos poetas populares. E o visitante passa assim por pouco mais de uma dúzia de nomes, em que coabitam alguns consagrados com outros que, embora epígonos, vão preenchendo a poesia dos dias com os versos com que alimentam a vida. Alguns destes poetas têm obra publicada em livro; outros nunca reuniram os seus escritos para publicação; outros ainda divulgam-se em sítios de poesia na internet. A exposição, cujo trabalho de recolha se deve sobretudo a Vanda Rocha, pode ser vista até 28 de Janeiro no Museu Sebastião da Gama, em Azeitão, onde convivem rimas de Alcindo Bastos, António Poeiras, Arronches Junqueiro, Carlos Alberto Ferreira Júnior, Francisco Teles, Joaquim Caineta, Joaquim Oliveira, José Gago, Manuel Frango de Sousa, Manuel Maria Eusébio (“Calafate” – cujo centenário de falecimento p…

Sebastião da Gama, navegador…

…sim, mas de palavras, de poemas, descobridor de caminhos do lirismo. Essa foi a navegação do poeta azeitonense Sebastião da Gama, referência cultural inultrapassável da literatura portuguesa do século XX. A ideia do “navegador” veio do programa “O Elo Mais Fraco”, transmitido na RTP hoje, quando à pergunta “O português Sebastião da Gama distinguiu-se como escritor ou como navegador?” o concorrente respondeu “Navegador”. Compreende-se o lapso por poder resultar da confusão com Vasco da Gama. No entanto, não se aceita, mesmo pela diferença do tempo que separa ambos. Só espero que, como entre os concorrentes havia dois de Azeitão e uma de Quinta do Anjo, pelo menos estes três soubessem de quem se estava a falar… Quanto ao resto, só podemos pensar que nos pesa a responsabilidade de continuarmos a divulgar Sebastião da Gama e a sua obra. O próximo ano, em que passam 60 anos sobre a sua morte, pode ser um bom pretexto para que mais se fale dele. Sebastião da Gama, escritor e navegador de poema…

Miguel Real: Leitura pessoal do "Diário" de Sebastião da Gama

Recentemente reeditado pela mão do professor João Reis Ribeiro, que assina uma notável introdução, Diário (Editorial Presença), de Sebastião da Gama, dele recolhemos o exemplo de um verdadeiro professor. Com efeito, um conjunto de dez características estatui este diário de um estagiário das disciplinas de Português e Francês no modelo (ideal) de um perfeito professor. Neste sentido, o genuíno professor do ensino básico e secundário seria:
1. – aquele que lecciona contra o racionalismo pedagógico, o academicismo, o eruditismo, a retórica balofa, o estilo pedante e pomposo, a orientação pedagógica livresca e moralista, a total vinculação ao estudo do passado literário sem compromissos estéticos actuais; 2. – aquele que, como pulsão de desejo pedagógico-estético, munido de suficientes portas e janelas por onde corre o ar fresco da criação nova, interpenetra na sala de aula de conhecimento e criação; 3. – aquele que dá aulas contra a cultura como efeito de propaganda e contra a cultura como …

O "Diário" não está na lista... mas podia (devia) estar

O último número da revista Os Meus Livros (nº 104, Novembro.2011) apresenta como tema de capa “Os Caminhos do Ensino”. No interior, em quatro páginas, o texto “De zero a vinte” apresenta duas dezenas de títulos bibliográficos pretendendo olhar “vinte livros que são um ponto de partida para olhar as questões do ensino com outros olhos e compreender um pouco melhor algumas das questões que causam discordância, mas necessitam de respostas”. Por este escaparate passam as obras: Se não estudas estás tramado, de Eduardo Marçal Grilo; O “eduquês” em discurso directo, de Nuno Crato; A Educação do meu umbigo, de Paulo Guinote; A minha sala de aula é uma trincheira, de Bárbara Wong; A arte de ensinar, de Alan Haigh; 19 argumentos para reconst(ruir) a escola pública, de Luís M. Aires; Professores e escolas, de Evangelina Bonifácio Silva; O pequeno ditador, de Javier Urra; Pais que educam, professores que amam, de Joaquim Machado; O ensino passado a limpo, de Santana Castilho; A aprendizagem coope…

Ouvir "Pasmo", de Sebastião da Gama

“Pasmo” é poema de Sebastião da Gama, datado de 29 de Julho de 1944, logo inserido pelo poeta no seu primeiro livro, Serra-Mãe, em 1945. A sua audição está agora disponível na net, através do Youtube, pela voz de Raul Resendes, a partir do programa “Poema do Dia”, dedicado à poesia, em co-produção da Associação Cultural Despe-Te Que Suas e da Antena 1 / Açores, com o apoio do Governo açoriano. Na gravação disponível, constam ainda comentários finais da autoria de Carla Mota e de Urbano Bettencourt.

Dos associados (25) - Luís Amaro

Em 1949, Luís Amaro (que é nosso associado desde o início) publicou o livro Dádiva (Lisboa: Portugália Editora), que mereceu de Sebastião da Gama uma carta de amigo, mais que de leitor. Ou talvez nela contendo as duas perspectivas, nela dizendo a dada altura: “O teu livro tem, além de muita poesia, de muito coração, de muita honestidade humana e de Artista, uma unidade que eu invejo”. No Diário, Sebastião da Gama registaria também, em curta e sentida nota (18 de Fevereiro de 1949): “Ao escrever isto – ser professor é dar-se – lembro-me do amaro. Pobre querido Amigo, tão nobre, tão modesto, tão pudico da sua intimidade. Um António Nobre que chegou tarde, uma flor que o vento magoou… Há três anos que lhe peço o livro: ele, tímido, recusa sempre mostrá-lo ao mundo. (…) Pois há uma semana encontrei o Amaro. Acompanhei-o. Junto de um portal, com medo de que alguém que passasse ou ouvisse, segredou-me: ‘Vou publicar.” – ‘Diário Íntimo?’ – ‘Não. Dádiva.’ Senti cá dentro uma lágrima que era a…

Dos associados (24) - David Sequerra

Na semana que passou, o Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Alexandre Mestre, esteve em Sesimbra, onde visitou o Grupo Desportivo de Sesimbra. No final da visita, o governante enalteceu o papel desempenhado por David Sequerra na área do desporto entregando-lhe a Medalha de Bons Serviços Desportivos. Aqui fica o recorte com a notícia saída na edição do Sem Mais Jornal de hoje e aqui se registam os parabéns ao nosso associado David Sequerra. – JRR

A "Cantilena", de Sebastião da Gama, em Frankfurt

Sebastião da Gama esteve presente em Frankfurt, na manifestação de portugueses que não aceitam o encerramento do vice-consulado daquela cidade. Segundo a edição online do Notícias Lusófonas, a tarde de ontem viu cerca de um milhar de manifestantes a reivindicarem a continuidade do vice-consulado, recorrendo a conhecidas canções de intervenção, entre as quais constou a “Cantilena”, que foi musicada por Francisco Fanhais. Muito embora este poema não tenha sido produzido com intenções políticas, a verdade é que a imagem do rouxinal impedido de voar por lhe terem cortado as asas constituiu um bom pretexto para a poesia e para a música de intervenção, tendo merecido a atenção de Fanhais na década de 1960.

Do "Diário" para uma tertúlia, em Palmela - a registar na agenda

Memória – Rui Serodio (1937-2011)

A notícia chegou brutal: morreu o Rui. Do lado de lá, o Jorge Calheiros falava emocionado. E foram uns segundos de silêncio a tentar aceitar o destino… Há dois dias, enviei-lhe uma mensagem a saber da sua saúde e a dizer-lhe que tinha saudades de nos encontrarmos. Não respondeu. Como já não respondia a vários amigos há algum tempo. O estado de saúde não deixava… Logo que o Jorge acabou de me dar a notícia, telefonei a outros amigos comuns. Espanto, desgosto, dor. Refugiei-me a ouvir, porque a tinha no carro, a música “Arrábida Minha”, que o Rui Serodio integrou no cd “The mystic of the piano”, homenagem que ele merece. Tenho saudades do Rui. Muitas. Do seu humor fino. Do seu saber musical. Da sua vontade de animar projectos. Dos seus sonhos envolvidos em pautas e em sonoridades afáveis. Do seu estar. Do seu nunca saber dizer que não. Do seu olhar sobre a música – deixou registado no seu blogue: “Passei toda a minha vida integrado no mundo activo da música e estou intensamente ligado ao …

Rogério Claro: livro e exposição na Biblioteca de Setúbal

Rogério Peres Claro foi colega de Sebastião da Gama e teve um percurso geográfico como professor semelhante ao do poeta azeitonense. No seu tempo de 90 anos, Peres Claro tem um contributo cívico e cultural inegável no plano da história local sadina - autor de uma colectânea de memórias históricas em vários volumes (Setúbal de há 100 anos) e de uma monografia sobre a Escola Secundária Sebastião da Gama (Um século de Ensino Técnico-Profissional em Setúbal), foi ainda divulgador cultural, tradutor, editor da obra do poeta Calafate (António Maria Eusébio), seu familiar, e das memórias paroquiais de Setúbal de 1758. Este último título, editado no final da década de 1950, revela-se documento importante para o conhecimento das freguesias de Setúbal setecentistas e encontra-se esgotado desde há muito. Pois Sábado, 22 de Outubro, a Biblioteca Municipal de Setúbal vai acolher uma exposição bibliográfica sobre Peres Claro, ao mesmo tempo que será apresentada ao público a nova edição das memórias p…

"Pelo sonho é que vamos", de Eduardo Carqueijeiro e Nuno David

"Pelo sonho é que vamos", de Eduardo Carqueijeiro e Nuno David (obra pintada durante o concerto do grupo e-Vox na noite de ontem e oferecida pelos autores à Associação Cultural Sebastião da Gama)

Sebastião da Gama (en)cantado

A actuação do grupo e-Vox na noite de ontem, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Setúbal, no programa de actividades do mês da música, interpretando poemas de Sebastião da Gama musicados por Salvador Peres (um dos elementos do grupo) provou bem que com a prata da casa se podem fazer belos espectáculos e que aquilo que é feito com gosto e dedicação atrai público. De facto, os sete poemas cantados, a que se somaram vários outros ditos por Elisabete Caramelo e por João Completo, entusiasmaram o público e confirmaram, para lá da dedicação de que já falei, estarmos perante um importante marco da cultura setubalense e portuguesa como é o "Poeta da Arrábida". O concerto tomou o nome do título de um dos mais conhecidos poemas de Sebastião da Gama, “Pelo sonho é que vamos”, apresentando os textos “Quem me quiser amar”, “Nupcial”, “Rosas”, “Soneto do Tempo Perdido”, “Cantiga de Amor”, “Anunciação” e “O sonho”. Dizer que o público se deixou arrebatar é pouco – é que a sensibilidade po…

Dos associados (23) - Nicolau da Claudina

Nicolau da Claudina, nosso associado e director, foi aluno de Sebastião da Gama em Setúbal. Como o seu professor teria ficado contente se pudesse ler o que sobre Nicolau hoje escreve David Sequerra (também nosso associado) no Sem Mais Jornal (nº 685, pg. 13)! Aqui se reproduz a história!

"Pelo sonho é que vamos" na música

Integrado num mês de Outubro em torno da música em Setúbal, o programa "Pelo sonho é que vamos" animará a noite de hoje, a partir das 21h30, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Setúbal. Transcreve-se a notícia a partir do Guia de Eventos (Setúbal: Câmara Municipal de Setúbal, nº 79, Outubro.2011): "A poesia de Sebastião da Gama é a base da música dos e-Vox, com Salvador Peres, Alexandre Murtinheira, Diná Peres e Luís Alegria. Os poemas são recitados por Elisabete Caramelo e João Completo enquanto surgem imagens de telas de Eduardo Carqueijeiro e Nuno David." A não perder.

ARRÁBIDA A PATRIMÓNIO MUNDIAL – REUNIÃO DO FÓRUM E DA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO

A reunião realizou-se no dia 10 de Outubro de 2011, no Cine Teatro São João, em Palmela. Presentes, além dos técnicos responsáveis pelas diversas áreas, estava o Presidente de Conselho de Municípios e Presidentes das Câmaras de Palmela e Sesimbra e um vereador da Câmara de Setúbal. Do programa podemos salientar as palavras de boas-vindas aos participantes e a apresentação dos premiados, e respectiva entrega dos prémios, nos concursos “Arrábida Foto” e “Arrábida Curtas e Documentários”. Seguiu-se a análise do Relatório de GÉRARD COLLIN, perito junto da UNESCO e da UICN, realizado de 7 a 11 de Março de 2011. Este Relatório foi entregue em 31 de Março p.p. Esta missão e este Relatório foi um importante elemento de apoio à candidatura, contribuindo para realizar um balanço do percurso realizado e, simultaneamente, permitindo uma projecção do trabalho a desenvolver sobre o BEM Arrábida. A apresentação deste Relatório esteve a cargo da Dra. Cristina Coelho. Foram abordados os seguintes pontos …

Pároco assume máxima de Sebastião da Gama

Luís Pedro foi nomeado pároco de Santa Catarina, em Peniche. Na cerimónia religiosa que assinalou a tomada de posse, o aforismo de Sebastião da Gama “Tens muito que fazer? Não, tenho muito que amar!” serviu de mote ao presbítero, que assim pretendeu traçar um compromisso de dádiva à comunidade. A notícia é do Jornal das Caldas e pode ser lida aqui. O excerto seleccionado pelo novo pároco de Santa Catarina integra o registo do Diário de 23 de Março de 1949, que se transcreve:
«— Tens muito que fazer? — Não. Tenho muito que amar. (Não entendo ser professor de outra maneira. E não me venham dizer que isto assim cansa e mata; morrer-se, sempre se morre: e à minha maneira tem-se a consolação de não ser em vão que se morre de cansado.)»

Oficina de Escrita Criativa - é já em 29 de Outubro!

Seja bem vindo à Oficina de Escrita Criativa! O grupo “terracorpo” vai promover, ao longo deste ano lectivo, uma Oficina de Escrita Criativa, iniciativa a que a Associação Cultural Sebastião da Gama se juntou. Começa já em 29 de Outubro e, ao longo do ano lectivo, pode ser frequentado 33 vezes, número mágico de recorrências e de tentativas… Para mais informações, venha até aqui. Depois… seja bem vindo, claro!

No Parque dos Poetas, com Sebastião da Gama

No passado Domingo, passei pelo Parque dos Poetas, em Oeiras. Já conhecia, mas não havia prestado a devida atenção aos poetas que são ali homenageados. O parque é atravessado pela Alameda dos Poetas, com espaços (chamadas “ilhas”) reservados aos nossos poetas. Nesta primeira fase, estão ali expostas 20 esculturas de poetas do Séc. XX: Teixeira de Pascoaes, Florbela Espanca, José Gomes Ferreira, Miguel Torga, Sophia de Mello Breyner, Natália Correia, Eugénio de Andrade, Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro, Alexandre O`Neill, Camilo Pessanha, José Régio, Vitorino Nemésio, Jorge de Sena, Carlos Oliveira, Manuel Alegre, David Mourão Ferreira, António Gedeão, Ruy Belo e António Ramos Rosa. A Câmara Municipal de Oeiras, ao que se sabe, consultou 4 Organismos competentes na matéria para fazer a selecção dos poetas a integrarem esta 1ª fase. A escolha é, para mim, quase consensual. Embora reconhecendo que nunca é fácil uma escolha desta natureza, tenho muita pena que o poeta Sebastião da Gam…

Dos associados (22) - Nuno Gama

A nova colecção Primavera/Verão 2012, a apresentar na Moda Lisboa, a 9 deste mês, é pretexto para que o Diário de Notícias de hoje, na sua página de economia, traga pequena reportagem sobre Nuno Gama, o estilista azeitonense, familiar de Sebastião da Gama e nosso associado, assinada por Catarina Vasques Rito. Além de contar o seu trajecto e a sua ligação profissional ao Porto, Nuno Gama fala sobre a razão de os seus produtos serem todos confeccionados em Portugal – “Somos portugueses e devemos ter orgulho em sê- -lo. Uma maneira óbvia de ajudarmos a nossa economia é consumindo produtos nacionais. Claro que gosto de marcas e produtos estrangeiros, mas promovo sem esforço o consumo do made in portugal." Este princípio está, de resto, patente na sua linha, conforme repara a autora da peça – «O prazer que tem em ser português pode ver-se no facto de frequentemente usar nas suas colecções imagens bem tradicionais - o galo de Barcelos, o pastel de nata ou o lenço de Viana. "A razão…

Homenagem de Setúbal a Rui Nabeiro e a Rui Serodio

No feriado municipal de Setúbal, que aconteceu ontem, a Câmara Municipal de Setúbal atribuiu medalhas honoríficas a diversas individualidades e instituições. Entre as figuras galardoadas estão o comendador Rui Nabeiro, com a medalha de prata, e o maestro Rui Serodio, com a medalha de honra na área da cultura. A atribuição destas duas distinções é motivo de satisfação para a Associação Cultural Sebastião da Gama, uma vez que ambos deram já contributo importante à nossa Associação. Com efeito, o projecto do cd “Sebastião da Gama – Meu Caminho é por Mim Fora”, editado no ano passado, muito deve a Rui Serodio, “pai” da ideia e responsável pelos arranjos musicais que acompanham os poemas; por outro lado, a Rui Nabeiro se deve também o êxito do projecto, uma vez que, de entre os eventuais patrocinadores contactados, o Grupo presidido por Rui Nabeiro foi o primeiro a responder afirmativamente e a aderir a este projecto. Através da Associação Cultural Sebastião da Gama, já estes dois homens tinh…

Azeitão: Sebastião da Gama em pinturas de Carlos Godinho

Carlos Godinho é natural do concelho de Estremoz. Ligado às artes, tem formação em Educação Visual e tem praticado a pintura, a ilustração e a colaboração na imprensa. Participou em numerosas exposições, colectivas e individuais e está representado em variadíssimas colecções, em Portugal e no estrangeiro. Em 2005, em Estremoz, organizou uma exposição intitulada “Aqui, pelo sonho é que vamos (poemas de Sebastião da Gama)”, em que a obra do poeta azeitonense – que também foi professor em Estremoz – serviu como tema. A obra de Sebastião da Gama volta a ser pretexto para a exposição que será inaugurada em Azeitão, na tarde de 3 de Setembro. “Pelo sonho pintando…” é o seu título e o ponto de partida são os poemas publicados no livro Estevas, obra póstuma, de 2004. A exposição vai estar patente no Museu Sebastião da Gama, em Azeitão, até 26 de Novembro e constituirá um bom ponto de partida para o conhecimento da obra de Carlos Godinho, bem como para a obra de Sebastião da Gama. Um bom pretexto…

"Retrato a Sépia", de Paulo Assim, lido por João Morales

A revista Os Meus Livros, de Agosto (nº 101), aparecida nas bancas nesta semana, dedica a sua página 41 a "vozes subtis", isto é, a "algumas edições discretas de poesia", que, "fora de grandes atenções mediáticas, reclamam o seu espaço". Quem assina o texto é João Morales, director da revista, que faz nota de leitura de três obras. Uma delas é Retrato a Sépia, livro com que Paulo Assim ganhou o Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama, na edição de 2011, publicado pela nossa Associação. Aqui fica a reprodução dessa página. - JRR

Sebastião da Gama em "Memorial do Convento", de José Saramago

Todos os docentes que alguma vez leccionaram Memorial do Convento tiveram ocasião de encontrar, nos diversos manuais de 12.º Ano ou em elementos bibliográficos relativos ao famoso romance, longas e minuciosas listas de citações dos variados autores a que o escritor recorreu para pôr em prática o seu peculiar “jogo” intertextual. Relendo, há escassas semanas, algumas páginas do interessante livro José Saramago nas suas Palavras (Lisboa, Caminho, 2010), constituído por um vasto conjunto de excertos de entrevistas saramaguianas meticulosamente seleccionadas por Fernando Gómez Aguilera, que as agrupou em núcleos temáticos, acompanhando cada um deles de breve, mas cuidada, introdução, deparei, por mero acaso, na página 246, com o seguinte extracto de uma dessas entrevistas concedida pelo nosso Nobel da Literatura a Baptista-Bastos e publicada no jornal Correio do Minho, de Braga, em 12 de Fevereiro de 1983: «[…] se a oportunidade o pede, divirto-me a introduzir nos meus romances palavras, …

"Retrato a Sépia", de Paulo Assim, lido por Pedro Tamen

Pedro Tamen leu Retrato a Sépia, de Paulo Assim, a obra que ganhou o Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama deste ano, e fez-nos chegar um pequeno comentário sobre o livro, que aqui se reproduz: «Li-o com toda a atenção e constituiu para mim uma grata surpresa. O autor demonstra um à-vontade no tratamento das palavras e um amor por elas que para mim são indiscutíveis marcas de um poeta a sério. Por outro lado, o livro revela uma unidade temática sem falhas que o torna particularmente aliciante. E acresce (excelente coincidência) que o espírito deste "Retrato a Sépia" não anda longe da natural simplicidade da obra do Poeta a que o prémio presta homenagem.»

Entrega do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama - I

A entrega do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama ocorreu na noite de ontem, na sede da Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense. Paulo Assim foi o autor da obra premiada nesta 13ª edição do certame, intitulada Retrato a Sépia. Antes da sessão, Paulo Assim teve um encontro com Joana Luísa da Gama, que, por razões de saúde, não pôde estar presente no evento. A entrega do Prémio contou com a colaboração de Carlos Zacarias e de Sónia Paulo, que disseram poemas de Sebastião da Gama, a abrir o espectáculo, e de Paulo Assim, na conclusão.
As intervenções estiveram a cargo de José António Contradanças (em nome do júri), João Carpelho e Celestina Neves (presidentes das Juntas de Freguesia de S. Simão e de S. Lourenço, respectivamente), João Reis Ribeiro (Associação Cultural Sebastião da Gama) e Manuel Queirós (Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense). O tom dos discursos acertou por algumas ideias importantes, como: a oportunidade da existência deste Prémio, não só como memória de Seb…

Entrega do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama - II

Na sessão de entrega do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama, ontem realizada em Azeitão, foi José António Contradanças quem interveio em nome do júri. É esse discurso que aqui reproduzimos. Mas o leitor pode encontrar mais comentários ao livro vencedor, Retrato a Sépia, se vier por aqui ou por aqui.
Apresentaram-se a concurso duzentos e trinta e quatro trabalhos. O júri, por unanimidade, escolheu como obra poética a premiar a que se apresentou com o número cento e sessenta e nove, de título “Retrato a Sépia”, assinada sob o pseudónimo de Paulo Lódão. E fê-lo, distinguindo “uma obra que se revela como um livro homogéneo, sequencial, interessante e guloso no desafio ao apetite à leitura. Estando perante uma poesia aparentemente simples, intuitiva, muito fresca e cativante, não deixa de nos marcar com mensagens profundas a partir de vivências tão sentidas e tão puras, que hoje teriam lugar na construção do tal “novo paradigma” que se reclama, fundado em valores que devem pautar um…

A árvore da poesia cresceu ontem no Rossio de Azeitão

Há umas semanas, a Ema telefonou-me a perguntar uma forma de poder colaborar com a Associação Cultural Sebastião da Gama, porque achava que todos deviam ser voluntários na memória do poeta de Azeitão. Acrescentou que se disponibilizava para a animação de um ateliê de arte e escrita criativa, destinado ao público infanto-juvenil. Fiquei entusiasmado e sugeri-lhe o dia da entrega do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama, que ocorreria em Azeitão, para ser levada a cabo tal iniciativa, que teve o patrocínio da Associação Cultural Sebastião da Gama e da Junta de Freguesia de São Lourenço (Azeitão). E foi assim que, no Rossio de Azeitão, na manhã de ontem, nasceu a árvore da poesia, numa oficina de arte na rua, em homenagem a Sebastião da Gama, com cerca de uma dúzia de crianças em seu torno, alguns pais, muito boa disposição, tempo de verão, fotografias apelativas e palavras do Poeta da Arrábida. A Ema produziu uma animação extraordinária, que levou as crianças e os pais a um mergulho …

Agenda - 12 de Junho, à noite, entrega do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama

Agenda - 12 de Junho, pela manhã, oficina de arte na rua

12 de Junho é a data para a cerimónia da entrega do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama. Mas, pela manhã, às 10h30, o Rossio de Azeitão vai assistir a uma oficina de arte na rua, que passa pelas flores e por Sebastião da Gama. Aqui fica o convite! Passe-o a amigos! Traga os seus filhos e os dos amigos! Uma forma diferente de sentir a poesia e de homenagear Sebastião da Gama... ali, na terra que o viu nascer!... - JRR

António Manuel Couto Viana entre homenagens

António Manuel Couto Viana, que faleceu em 2010, foi um dos grandes amigos de Sebastião da Gama e foi nosso associado. A norte, este poeta é o centro de homenagens e evocações, que passam por Ponte do Lima, Ponte da Barca e Porto, uma geografia que ele bem conhecia e sobre que muito escreveu. Aqui fica a notícia, recortada do segundo mais antigo jornal português em publicação - A Aurora do Lima -, saído ontem, 8 de Junho. - JRR
A Aurora do Lima: 08.Junho.2011

Paulo Assim venceu Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama 2011

O Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama 2011 foi atribuído ao trabalho Retrato a Sépia, apresentado sob o pseudónimo Paulo Lódão, correspondente ao autor Paulo Jorge Coelho Carreira. Dos 234 trabalhos apresentados a esta 13ª edição do concurso, o júri (constituído por Arlindo Mota, João Reis Ribeiro e José António Chocolate Contradanças) foi unânime na decisão, considerando Retrato a Sépia “uma obra que se revela como um livro homogéneo, sequencial, interessante”, dotado de “uma poesia aparentemente simples, intuitiva, muito fresca e cativante”, num percurso “de memórias que ruma à infância, a tempos idos, fazendo-se dum encadeamento descritivo, duma sequência de retratos a sépia onde contrasta a vivacidade dos intérpretes, dos lugares e das acções, numa linguagem de grande riqueza metafórica”. A entrega do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama deste ano, bem como a apresentação pública da obra vencedora, está marcada para 12 de Junho, pelas 21h30, na Sociedade Filarmónica P…

Sebastião da Gama no Festival de Música de Setúbal

A 1ª edição do Festival de Música de Setúbal aconteceu entre 27 e 29 de Maio, numa organização conjunta da Câmara Municipal de Setúbal e do The Helen Hamlyn Trust, que tomou por palco vários espaços do concelho e envolveu associações, escolas, bandas e nomes já consagrados como Pedro Caldeira Cabral ou o azeitonense Pedro Carneiro. Vários poemas de Sebastião da Gama entraram no Festival graças à participação do externato “Rumo ao Sucesso”, de Azeitão, que, com um grupo de jovens com necessidades educativas especiais, interveio no Auditório da Anunciada, no primeiro dia do certame, interpretando os textos “O Sonho” (1951), “Somos de Barro” (1951), “Cantilena” (1946), “Madrigal” (1946), “Pequeno Poema” (1945), “O Menino Grande” (1946), “Claridade” (1944) e “Canção da Felicidade” (1946). De acordo com texto do catálogo, da responsabilidade do estabelecimento de ensino azeitonense, a motivação veio a partir de um registo de Sebastião da Gama, datado de 9 de Março de 1949 (“O poeta beija tud…

Quatro poetas da "Távola Redonda" no Palácio Fronteira

A geração literária ligada à revista Távola Redonda (1950-1954) foi objecto de um ciclo de poesia promovido pela Fundação das Casas de Fronteira e Alorna no mês de Maio, sessões que decorreram no Palácio Fronteira, em Lisboa. Este ciclo integrou quatro sessões, realizadas em 10, 12, 17 e 19 de Maio, cada uma delas dedicada a um autor que colaborou na revista: Cristovam Pavia (1933-1968), David Mourão-Ferreira (1927-1996), Matilde Rosa Araújo (1921-2010) e Sebastião da Gama (1924-1952), respectivamente. Cada sessão foi composta por uma apresentação do autor em destaque e pela leitura de um leque variado dos seus poemas, alguns deles comentados pelo respectivo apresentador. Fernando J. B. Martinho apresentou Cristovam Pavia como “o poeta que alcança a sua maturidade muito precocemente”. Situando-se no grupo dos católicos progressistas, tinha profunda ligação aos lugares da infância (época que lhe serviu como um “lugar de ouro”), valorizados através de uma poesia introspectiva, de contempl…

Coral Infantil de Setúbal e Banda da Armada entre cinco poemas de Sebastião da Gama

Cinco poemas de Sebastião da Gama foram cantados pelo Coral Infantil de Setúbal e musicalmente acompanhados pela Banda da Armada no concerto realizado no auditório José Afonso, na noite de sexta-feira, 20 de Maio, inserido no programa das comemorações do Dia da Marinha, que ocorreu na semana passada em Setúbal. Os cinco textos – “Pequeno Poema”, “Alegria”, “Louvor da Poesia”, “Madrigal” e “O Sonho” – integram a peça O Poeta da Arrábida, roteiro sobre Sebastião da Gama que insere alguns dos seus poemas, preparado por João Reis Ribeiro e musicado por Samuel Pascoal, obra destinada a assinalar o 30º aniversário do Coral Infantil de Setúbal, que ainda não pôde ser exibido na totalidade devido a condições logísticas. A interpretação destes cinco poemas constituiu assim uma pequena ante-estreia do que será a peça, marcada por uma música que aprofunda a mensagem de Sebastião da Gama, com arranjos francamente originais e surpreendentes para alguns dos textos. Depois desta mostra, o público – que…

Sebastião da Gama no concerto da Banda da Armada

As comemorações do Dia da Marinha de 2011 ocorrem em Setúbal entre 14 e 22 de Maio. No programa de actividades, consta um concerto pela Banda da Armada, que terá lugar em 20 de Maio, pelas 22h00, no auditório José Afonso, actividade que terá a colaboração do Coral Infantil de Setúbal, que interpretará excertos da obra “O Poeta da Arrábida”, alusiva à vida e obra de Sebastião da Gama, concebida para o 30º aniversário do CIS. Em Novembro de 2010, o Coral Infantil de Setúbal completou 30 anos, tendo desenvolvido, entre 2009 e 2010, o programa “30 Anos 30 Coros”. O final do ano de comemorações e o 30º aniversário seriam assinalados com o concerto “O Poeta da Arrábida” (guião da autoria de João Reis Ribeiro e música de Samuel Pascoal). Por falta de instalações adequadas em Setúbal, tal concerto não pôde ainda ter lugar (esperando-se que tal venha a acontecer em breve), mas, sendo a Banda da Armada a parceira na interpretação musical deste projecto, o concerto integrado nas celebrações do Di…

Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama 2011 – Entrega do Prémio

O Regulamento do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama estipula a data de 5 de Junho para a cerimónia de entrega do Prémio. Contudo, em virtude da convocação das eleições legislativas para essa data, que ocorreu posteriormente à elaboração e divulgação do Regulamento, e por as entidades patrocinadoras – Juntas de Freguesia de S. Lourenço e de S. Simão (Azeitão) – terem responsabilidades no funcionamento do processo eleitoral, foi deliberado o adiamento da cerimónia da entrega do Prémio, que ocorrerá em 12 de Junho, nas instalações da Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense.

Arrábida a património mundial – 2ª reunião da Comissão de Acompanhamento

Este segundo encontro, que teve a presença de inúmeras instituições e entidades, realizou-se no passado dia 9 de Maio, na sala de conferências da magnífica Casa da Baía, recentemente inaugurada, em plena Avenida Luísa Todi, em Setúbal. Do programa podemos salientar a intervenção sobre o ponto da situação da Candidatura e duas magníficas intervenções a cargo, respectivamente, do Professor José Carlos Costa e Dr. Heitor Baptista Pato. O primeiro dissertou sobre o estudo da flora, vegetação e paisagem da serra da Arrábida; o segundo falou sobre a componente do património cultural, chegando a afirmar e a demonstrar que a cordilheira da Arrábida é uma marca. Seguiu-se um interessante e muito proveitoso debate sobre o Plano de Gestão da Candidatura, tendo em conta os grandes objectivos e eixos estratégicos a integrar no dossier de candidatura. A nossa Associação esteve também presente através de um elemento da Direcção, que, mais uma vez, em breve intervenção, salientou o esforço que a Associa…

Setúbal: Escolas têm cd de Sebastião da Gama

Todas as escolas públicas do concelho de Setúbal têm a partir de agora um exemplar do cd “Sebastião da Gama – Meu caminho é por mim fora” nos respectivos centros de recursos, acção possível graças a oferta feita pela Fundação Buehler-Brockhaus. Com tal iniciativa, a Fundação pretendeu “contribuir para a divulgação de uma referência cultural da região, que teve importante papel na poesia portuguesa do século XX e no enriquecimento da perspectiva cultural da Arrábida”. O cd, editado pela nossa Associação no ano passado, contém 26 textos de Sebastião da Gama, lidos pelos actores Célia David, Fernando Guerreiro, José Nobre e Maria Clementina e por Maria Barroso, com acompanhamento musical de Rui Serodio. A oferta deste cd, recentemente levada a cabo, contemplou as escolas dos vários níveis de ensino da rede pública do concelho de Setúbal – Escolas Secundárias D. Manuel Martins, Sebastião da Gama, Bocage e D. João II, Agrupamentos Verticais de Escolas Luísa Todi (9), Barbosa du Bocage (6), Li…

A geração da "Távola Redonda" no Palácio Fronteira

A geração da Távola Redonda, de que Sebastião da Gama fez parte, vai ocupar o Ciclo de Música e Poesia Portuguesa Séc. XX que tem início hoje no Palácio Fronteira, organizado pela Fundação das Casas de Fronteira e Alorna. A sessão de hoje versará sobre a poesia de Cristovam Pavia, com apresentação e comentários a poemas por Fernando J. B. Martinho; o segundo autor a apresentar será David Mourão-Ferreira, comentado por Clara Rocha (em 12 de Maio); Matilde Rosa Araújo será estudada na terceira sessão (17 de Maio) por Violante Magalhães; o último encontro (19 de Maio) versará sobre a poesia de Sebastião da Gama, com exposição a cargo de João Reis Ribeiro. Cada um dos quatro recitais de poesia será antecedido de um recital de música, em que intervirão Gilda Oswaldo Cruz (ao piano, hoje); Ana Luísa Monteiro (piano) e Pedro Miguel Nunes (barítono), em 12 de Maio; Maria João Sousa (soprano) e Marta Manuel (piano), em 17 de Maio; Marcos Santos (tenor), Natasa Sibalic (soprano) e Helena Vasques …

Diário de Sebastião da Gama no "Diário Digital"

O Diário de Sebastião da Gama, que inaugura a colecção das "Obras Completas" do Poeta da Arrábida, foi objecto de uma entrevista com João Reis Ribeiro, que saiu no Diário Digital de ontem. É essa peça, assinada por Pedro Justino Alves, que aqui se reproduz.
Presença edita obra completa de Sebastião da Gama A Presença vai publicar nos próximos meses, anos a obra completa de Sebastião da Gama. O primeiro volume desta extensa colecção, Diário, já está à venda, sendo possível encontrar, por exemplo, na Feira do Livro de Lisboa, que decorre até o dia 15 de Maio. João Reis Ribeiro é o coordenador deste projecto que procura colocar de vez o nome do poeta no cenário literário nacional. João Reis Ribeiro acredita que Sebastião da Gama não é um nome «esquecido» das letras nacionais, embora admita que o poeta «talvez não seja ainda visto com a importância que realmente teve…». E para acabar de vez com esta lacuna, a Presença resolveu oferecer aos leitores nacionais toda a obra do autor, …