terça-feira, 26 de novembro de 2013

Dos associados - Memória: Alberto da Conceição Fosco (1934-2013)



Alberto Fosco, um dos alunos de Sebastião da Gama que protagoniza o Diário (foi estudante na Escola Veiga Beirão) e nosso associado desde Abril deste ano, faleceu no início deste mês, em 5 de Novembro, notícia de que só agora tomámos conhecimento.
O Fosco, como Sebastião da Gama o refere no Diário, foi um dos alunos mais recorrentemente citados, surgindo-lhe a primeira referência logo no dia 28 de Janeiro de 1949:
«Hoje o trecho foi escolhido pelo Fosco (e de ora avante será quase sempre assim: eles é que sabem o que eles querem; e é esta uma maneira de se apurar o que nas antologias escolares vem fora de propósito).
'Homem ao Mar' [de D. Bernardo de Mesquitela] — um trecho apaixonante, intensamente dramático. Foi lido bastante bem pelo mesmo Fosco e a certa altura peguei eu nele. Posso julgar, pela atenção com que me escutaram, que à boa qualidade daquelas páginas se juntou a boa qualidade da minha leitura, de resto facilitada pelo interesse que eu próprio tinha nela. Mas isso não quis dizer de modo nenhum que o Fosco não se preferisse; reclamou que lhe pertencia a ele ler e foi ele quem levou o resto até ao ponto final.
Já não mandei contar: pedi ao Fosco que me dissesse por que gostou do trecho e os motivos que indicou foram um sinal de que compreendera onde estava a força e a beleza de 'Homem ao Mar'. Acabou a sua exposição falando sobre a vida do marítimo. E conseguiu, quando teve de citar um ou outro passo do trecho, o que eu acho que se deve então fazer: Contar o que se leu, não como quem leu, mas como quem viu.»
[Foto: pormenor da ficha do aluno Alberto Fosco, na caderneta de professor de Sebastião da Gama.]


Memória: Maria Irene Alves (1927-2013)



Maria Irene Alves entrou no curso de Românicas em 1946, tendo-se cruzado com Sebastião da Gama nos corredores da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e na amizade.
Ao longo dos anos, Sebastião da Gama foi, de resto, tema de muitas conversas de Maria Irene Alves, em testemunhos cheios de simplicidade, de afecto e de sorrisos. O poeta azeitonense foi um dos autores de poemas dedicados a Maria Irene Alves, publicados no Livro de Curso de 1946-1950.
Não tendo sido nossa associada, Maria Irene Alves participou em vários eventos levados a cabo pela nossa Associação, tendo também incentivado a divulgação da mensagem de Sebastião da Gama, mesmo já depois de aposentada, tempo em que dinamizou culturalmente a Casa do Professor, em Setúbal.

sábado, 23 de novembro de 2013

Sebastião da Gama homenageado em concerto no aniversário do Coral Infantil de Setúbal



Logo à noite, pelas 21h00, o Forum Luísa Todi, em Setúbal, acolherá o concerto “O Poeta da Arrábida”, que celebrará o aniversário do Coral Infantil de Setúbal. A interpretação musical estará a cargo da Banda da Armada, dirigida pelo 1º Tenente Músico Délio Gonçalves, e a interpretação coral vai competir ao Coral aniversariante, ao Coro Feminino TuttiEncantus, ao Coro do Conservatório Regional de Setúbal e ao Coro de Câmara de Setúbal. O roteiro da obra é da responsabilidade de João Reis Ribeiro, com poemas de Sebastião da Gama, e a autoria da composição musical é de Samuel Pascoal.
A Associação Cultural Sebastião da Gama procedeu à edição do roteiro, um opúsculo de 30 páginas, que inclui os poemas de Sebastião da Gama seleccionados e as partituras dos poemas que abrem e fecham o concerto, respectivamente, “Pequeno Poema” e “O Sonho”.
Mas o concerto de hoje tem uma história subjacente…
Quando celebrou o seu 30º aniversário, o Coral Infantil de Setúbal pretendeu levar a cabo um concerto de encerramento desse ano, em 2010, que homenageasse um valor da região de Setúbal, escolhendo a figura de Sebastião da Gama.
O roteiro para essa celebração, bem como a respectiva composição musical, foram efectuados, mas, por razões logísticas, esta actividade não pôde ser levada a cabo. Só agora este evento é possível, associado a um outro aniversário do Coral Infantil de Setúbal, quando se começa a celebrar o seu 34º ano de existência.
Sabe-se que a figura de Sebastião da Gama ultrapassa o epíteto de “Poeta da Arrábida” (haverá poetas de algum lado que não seja o universo?), mas, para quem vive aqui, nas margens da serra, o nome do poeta e o da montanha são inseparáveis. Por isso, mantivemos a ideia no título deste roteiro, construído sobre a biografia e sobre poemas do homenageado, numa tarefa a que a Associação Cultural Sebastião da Gama se aliou com gosto desde o primeiro momento. Afinal, a poesia relaciona-se com a música… como estabelece pontes com o silêncio… como celebra o concerto da contemplação! E Sebastião da Gama sabia tudo isso!...


sábado, 2 de novembro de 2013

Sebastião da Gama e Arrábida, hoje, em Palmela



No âmbito do programa de "Recepção à Comunidade Educativa", a Câmara Municipal de Palmela promove, na tarde de hoje, o encontro sobre o Diário e a poesia de Sebastião da Gama, orientado por Manuela Cerejeira, estudiosa da obra do poeta azeitonense e nossa associada.
O momento constitui ainda a oportunidade para a visita à exposição "Arrábida, um Lugar Sagrado", preparada a propósito da candidatura da Arrábida a património mundial. A não perder!