segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Dos associados (31) - António Osório em entrevista



António Osório, um dos mais importantes poetas portugueses da actualidade e nosso associado, é entrevistado na mais recente edição do JL – Jornal de Letras, Artes e Ideias (nº 1095, de 19 de Setembro).
A entrevista, conduzida por Maria Leonor Nunes, tem como pretexto o livro que brevemente estará nos escaparates, assinado por António Osório, intitulado O concerto interior, uma “revisitação das personagens e episódios da vida do poeta, ensaísta e advogado”.
António Osório, que conheceu Sebastião da Gama e com ele privou, já escreveu algumas memórias sobre o poeta azeitonense; neste livro, o autor de Serra-Mãe voltará a ser objecto de histórias, a par com muitas outras personagens que se cruzaram na vida de António Osório, que diz sobre este seu novo título: “Neste livro há uma mistura de poesia, prosa e sonho. E procurei ser verdadeiro, como em tudo na minha vida.”
A entrevista, importante para quem queira conhecer António Osório (nascido em Setúbal há 79 anos e cujo primeiro livro, A raiz afectuosa, saiu há 40 anos), passa pela poesia, pela biografia, pelos gostos e prazeres, pelo anúncio do que pode ser partilhado neste livro. O Concerto Interior, título poético de um jeito de fazer memórias em que a poesia e o sentir se cruzam, foi pretexto para esta entrevista que termina com António Osório a dizer o que procura como poeta: “A busca do sentido do mundo. A busca da ‘luz verde’. Acho que existe uma luz verde, que todos vemos, que é a de sermos fraternos uns para os outros.”
Brevemente, uma outra entrevista de António Osório será publicada, desta vez na revista Ler (a sair no início de Outubro). O livro de que se fala será objecto de apresentação pública em data a ser divulgada oportunamente, numa iniciativa que será levada a cabo com a participação da nossa Associação. – JRR

domingo, 23 de setembro de 2012

Dos associados (30) - O nosso presidente recebeu a medalha de mérito cultural


A nossa Associação está de parabéns! O nosso Presidente recebeu Medalha de Mérito Cultural.
Tudo se passou no passado dia 15 de Setembro - Comemorações do dia da Cidade, em Setúbal. Tal como em anos anteriores, a Câmara Municipal de Setúbal comemorou o seu feriado municipal com um vasto programa de eventos culturais de que destacaremos somente a sessão realizada nesse dia no Salão Nobre dos Paços do Concelho.
Foi precisamente no decorrer desta sessão solene que teve lugar a homenagem aos funcionários municipais ultimamente aposentados e a condecoração de diversas personalidades e entidades do concelho com a Medalha de honra da cidade.
Entre as diversas personalidades propostas pela nossa Câmara Municipal  para serem condecoradas está precisamente o nosso presidente, Dr. João Reis Ribeiro. Estamos, pois, perante um acontecimento que enche de júbilo  a nossa Associação, com todos os seus associados, amigos e admiradores do grande homem, poeta e pedagogo que foi Sebastião da Gama.
No curriculum apresentado nesta sessão evocativa pela Câmara Municipal, justificativo da atribuição deste galardão, ficámos a saber que o Professor João Reis Ribeiro nasceu em Alvarães (concelho e distrito de Viana do Castelo) no ano de 1958. Desde a sua vinda para o concelho de Setúbal, para além da actividade docente, vem manifestando um grande interesse pela história local da região através de estudos que vem publicando com notória assiduidade, tanto em periódicos de circulação local como em livro.
Para além de alguns estudos em colaboração com outros investigadores, é de sua autoria a obra Histórias da região de Setúbal e Arrábida, de que saiu em 2003 o primeiro volume. Tem ainda colaboração no Grande Dicionário Enciclopédico Ediclube e são de assinalar também outras obras de sua autoria, tais como Minho (1993), Histórias e cantinhos da região de Palmela (2002) e Imagens da Península da Arrábida no século XIX (2004, em colaboração com António da Cunha Bento). Ultimamente, preparou uma edição anotada do Diário de Sebastião da Gama (2011).
Convém ainda referir os cargos directivos desempenhados no movimento associativo: Associação Desportiva e Cultural de Alvarães; Casa do Minho (Lisboa); Centro Social de Palmela e Grupo dos Amigos do Concelho de Palmela, além de colaborações com o Centro de Estudos Bocageanos e Liga dos Amigos de Setúbal e Azeitão.
Apaixonado pela obra do poeta e pedagogo Sebastião da Gama, João Reis Ribeiro vem-lhe dedicando atenção, leitura e estudo a partir, sobretudo, da tese de mestrado que defendeu e na qual analisou o percurso da revista Távola Redonda, a que o autor de Serra-Mãe esteve ligado.
João Reis Ribeiro, docente bem conhecido e apreciado nos meios literários de Setúbal, desempenha ainda as funções de Presidente da Associação Cultural Sebastião da Gama, instituída no ano de 2006 e que tem como propósito principal a divulgação da mensagem e da obra do poeta azeitonense.
João Reis Ribeiro tem-se mostrado um incansável intensificador da memória de Sebastião da Gama, promovendo, através da Associação a que preside e em parceria com a Câmara Municipal de Setúbal e de outras Entidades, diversas iniciativas tendentes a evocar o grande poeta e pedagogo azeitonense Sebastião da Gama.
Aqui fica, pois, um pequeno esboço do valor e mérito humano, moral e intelectual do nosso presidente que, diga-se em abono da verdade, nos enche de orgulho.Com renovados parabéns por esta Medalha de mérito intelectual e por todos os êxitos já alcançados, formulamos votos para que tenha muita saúde a fim de poder continuar a conceder à  nossa Associação e a todas as actividades  em que está envolvido o seu incontornável contributo. – Manuel  Herculano Silva

[Na foto: João Reis Ribeiro, ladeado pela Presidente da Câmara de Setúbal e pelo Presidente da Assembleia Municipal de Setúbal.
Foto de Fátima Ribeiro] 

Dos associados (29): Rui Peixoto e o quotidiano azeitonense dos anos 20


A apresentação pública foi já no final de Junho, mas a obra merece referência: falo de O Azeitonense, semanário publicado em Azeitão entre 3 de Agosto de 1919 e 25 de Julho de 1920. Cerca de um ano durou a publicação, de que saíram 51 números.
Em Junho passado, foi feita a apresentação de uma edição facsimilada deste jornal, trabalho devido ao nosso associado Rui Peixoto, ainda que com a colaboração de Pedro Marquês de Sousa, Leonardo Bento e António Eduardo Chumbinho. Para se avaliar da dificuldade deste trabalho, bastará pensar que, na Biblioteca Municipal de Setúbal, existem apenas 15 números desta publicação; um particular, Francisco Lavrador, ofereceu ao Jornal de Azeitão uma colecção em que constam 40 números; a totalidade da colecção existe apenas na Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, recurso que ocupou Rui Peixoto na sua pesquisa.
Qual era a intenção do jornal dirigido por Gastão Faria de Bettencourt? Logo no número inaugural, a linguagem era clara no artigo intitulado “O nosso intuito”: “O nosso semanário será órgão defensor dos interesses de Azeitão, completamente alheio a política.”
Ao longo das cinco dezenas de números editados, há referências a figuras importantes da vida cultural portuguesa, notícias locais, sugestões para melhoramentos na freguesia, versos de poetas locais e de outros de renome nacional e anúncios (no primeiro número, já se fala dos “deliciosos bolos de Azeitão” de Manuel Rodrigues, “o Cego”, por exemplo, ou de José Maria da Fonseca, numa página que reúne 17 anunciantes).
São duas centenas de páginas com que se fez a história do quotidiano azeitonense, não apenas com interesse devido à curiosidade mas sobretudo para sentir a dinâmica que animava a vila. Um trabalho que deve ser agradecido a Rui Peixoto! – JRR