terça-feira, 22 de Abril de 2014

Joana Luísa da Gama - Missa de 7º Dia


A Missa de 7º Dia pela nossa associada Joana Luísa da Gama ocorrerá na quinta-feira, 24 de Abril, pelas 18h00, na igreja de S. Lourenço, em Vila Nogueira de Azeitão.

quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Dos associados: Memória - Joana Luísa da Gama (1923-2014)



A ficha biográfica de Joana Luísa da Gama poderia conter apenas os seguintes dados limitadores do seu percurso de vida: 28-02-1923 a 15-04-2014. No entanto, sabemos como isso seria pouco, muito pouco, sobretudo quando tal tempo corresponde a um período de 91 anos, 62 dos quais no estado de viúva, a cuidar da obra do marido, o poeta Sebastião da Gama, e a participar em várias acções de solidariedade e de voluntariado após a aposentação do serviço da Segurança Social, área em que tratou de encaminhar processos de adopção.
Joana Luísa da Gama foi a nossa associada nº 1 desde que a Associação Cultural Sebastião da Gama foi criada em 2006. O seu contributo para a expansão da Associação e sobretudo para a concretização dos seus objectivos foi inesquecível, tendo estado sempre disponível para participar na divulgação da obra do poeta azeitonense e para dar a conhecer a sua obra e a sua mensagem. Connosco colaborou em acções sem conta; connosco visitou escolas, associações, exposições ligadas a Sebastião da Gama.
Se a grandeza e a dimensão da obra do poeta da Arrábida são hoje conhecidas, em parte isso é devido a Joana Luísa da Gama, na sua postura de conservadora do espólio e de incentivadora do estudo da obra do poeta. Não fosse a sua acção e, provavelmente, não saberíamos de Sebastião da Gama aquilo que hoje conhecemos!...
Infelizmente, o seu estado de saúde passou a ser preocupante de há cerca de dois anos a esta parte, na sequência de um avc. Progressivamente, o estado de saúde complicou-se e, na noite de terça-feira, Joana Luísa da Gama partia ao encontro do seu poeta.
Dela nos ficou a força para se prosseguir na divulgação da obra do poeta. Dela nos ficou o entusiasmo perante a beleza da Arrábida e perante a estética dos versos que Sebastião produziu no seu trajecto de vida e da serra. Dela nos ficou o ensinamento de que a poesia é forte relação de compromisso que faz ressaltar a beleza do mundo.
No ano passado, a Associação Cultural Sebastião da Gama promoveu a edição da obra Estala de saudade o coração, reunindo as crónicas e as memórias de Joana Luísa sobre Azeitão e sobre Sebastião da Gama, um conjunto memorialístico digno de apreço pelo que revela ao leitor comum. Foi uma alegria para Joana Luísa o facto de ter podido ver os seus escritos na forma de livro!
Oxalá possamos conservar de Joana Luísa aquilo que de bom ela nos soube dar! Obrigado, Joana Luísa!
[Foto: Joana Luísa, em 6 de Abril de 2013, aquando da apresentação pública do livro Estala de saudade o coração.]

OBS. 1: O funeral realiza-se hoje a partir da Igreja da Misericórdia de Azeitão para o cemitério de S. Lourenço, com início das cerimónias fúnebres pelas 15h30.

OBS. 2: Ao longo da quarta-feira, várias foram as manifestações de pesar que nos chegaram. Comovido, Luís Amaro, com a idade de Joana Luísa, dizia ao telefone que esta era a notícia por que esperava com pena e com abalo. Alguns amigos resolveram pôr por escrito uma memória:
José Carlos Marques: “Admirável dedicação de mais de meio século na ausência, na saudade e na memória diligente. As minhas condolências.”
Alexandrina Pereira: “Triste notícia, embora esperada.”
Ruy Ventura: “Envio as minhas condolências a toda a família e aos amigos de Joana Luísa e de Sebastião. Deus lhe agradecerá quanto fez em toda a sua vida.”
Padre David Antunes: “A informação deixou-me muito contristado. Gostaria de apresentar os meus pêsames a alguém da família. Vejo-a como irmã e condoo-me com todos por este acontecimento, não deixando de pedir ao Senhor por ela. Sou solidário na saudade.”
Manuela Cerejeira: “Há amores que são infinitos e que persistem para além de tudo: a Joana Luísa esteve menos de um ano casada com o Sebastião e mais de 60 viúva (não digo ‘sem ele’, porque acho que ele esteve sempre com ela). Hoje foi o grande reencontro, por toda a eternidade, como D. Pedro mandou escrever no túmulo da sua amada Inês, ‘ATÉ AO FIM DO MUNDO’. Deixo um poema do Sebastião, dedicado à esposa e referente à casa onde foram morar em Estremoz. Foi esta noite que um anjo veio junto da Joana Luísa, ‘bater-lhe à porta com a asa’, e a levou, qual oferta pelos 90 anos do poeta, para aquela de quem ambos poderão dizer ‘a nossa casa é bem a nossa casa’; ‘Nem mais, nem menos: tudo tal e qual/o sonho desmedido que mantinhas’; ‘Olha como a Senhora da moldura/sorri (...)’. Saibamos nós honrar a memória deste amor eterno!”

OBS. 3: Ler mais aqui.

segunda-feira, 14 de Abril de 2014

Sebastião da Gama na Casa Fernando Pessoa...


... até 24 de Abril. Noticiado aqui.
E, já agora, uma informação: na biblioteca de Sebastião da Gama havia, pelo menos, dois títulos pessoanos:
-  Poesia. Introd. e Selec.: Adolfo Casais Monteiro. 2ª ed. Col. “Antologia de Autores Portugueses e Estrangeiros”. Editorial Confluência, 1945
- Poesias de Álvaro de Campos. Col. “Poesia”. Lisboa: Edições Ática, 1944
No final do livro referido em segundo lugar, o poeta registou uma data - Sebastião da Gama, Arrábida – 20.VI.1944. Data de aquisição ou data de leitura? Uma dúvida. Uma ou outra são possíveis, pois que Sebastião da Gama tinha o costume de fazer um ou outro desses registos.

sábado, 12 de Abril de 2014

... e ainda um outro, para quem Sebastião da Gama diz muito!


A delegação da ASSP (Associação de Solidariedade Social dos Professores) do Algarve evocou Sebastião da Gama. Ou não fossem professores os membros fundamentais da ASSP!... Ver aqui.

... e mais um sítio, de leitura e de livraria, por onde Sebastião da Gama passou...


Nos 90 anos de Sebastião da Gama, o Papel a mais evocou-o com um texto de memória, justamente de quando, em Setúbal, na década de 1980, começou a ser homenageado o poeta no seu mês. Uma tradição que começou aí... e que pode ser lida aqui.

Na Universidade Sénior de Azeitão, lê-se e estuda-se Sebastião da Gama...


Mais um sítio onde se fala do 90º aniversário de Sebastião da Gama e que dá notícia do trabalho que tem sido desenvolvido em prol do conhecimento do poeta. Aqui, na Universidade Sénior de Azeitão! Parabéns!

quinta-feira, 10 de Abril de 2014

Nos 90 anos de Sebastião da Gama, hoje



Em Azeitão, Sebastião da Gama foi homenageado na manhã de hoje, em iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Setúbal e pela Junta de Freguesia das freguesias de S. Simão e de S. Lourenço de Azeitão.
Flores para um poeta da Natureza no dia em que completaria 90 anos!

Vereador Pedro Pina (Câmara de Setúbal) e Celestina Neves (Presidente da Junta de Freguesia de Azeitão)

 Ana Vieitos, familiar de Sebastião da Gama, no uso da palavra

quarta-feira, 9 de Abril de 2014

Amanhã, quando Sebastião da Gama faria 90 anos...

 
... veja a edição do semanário sadino Setúbal Mais, no seu segundo aparecimento ao público, onde encontrará um texto sobre Sebastião da Gama e a Arrábida e uma cronologia do poeta azeitonense balizada entre 1924 (ano do nascimento) e 2010 (ano da tradução italiana de excertos do Diário). A não perder!

terça-feira, 8 de Abril de 2014

Sebastião da Gama em palavras cruzadas


Quer testar os seus conhecimentos sobre Sebastião da Gama? Paulo Freixinho dá uma ajuda com um problema de palavras cruzadas. Uma boa ideia! Aqui.

sábado, 5 de Abril de 2014

Dos associados - Memória: Aurora Salgado da Gama (1926-2014)



Em 10 de Março foi o adeus a Aurora da Conceição Ferreira Salgado da Gama (1926-2014), nossa associada desde o início e sempre interessada em saber sobre as nossas actividades em prol de Sebastião da Gama.
Aurora Gama foi cunhada de Sebastião da Gama pelo seu casamento com Sérgio da Gama (1922-2005), o irmão mais velho do poeta azeitonense. Esteve presente em muitas das acções que a Associação Cultural Sebastião da Gama levou a cabo e incentivou, em várias alturas, algumas das iniciativas.
Sempre testemunhou sobre Sebastião da Gama com carinho e nunca pôs obstáculos à divulgação da obra do poeta, tal como já fora apanágio do seu marido.
O final da vida foi de sofrimento grande, mas pelo rosto da D. Aurora passeava-se sempre um sorriso, escondendo a dor e disponibilizando-se para os outros. Quem teve a alegria de a conhecer sentirá, por certo, a saudade e o respeito.
Sebastião da Gama deixou em manuscrito um poema dedicado ao irmão Sérgio e a Aurora – “Descoberta”, datado de 8 de Fevereiro de 1948 – e um outro dedicado a Aurora – “Natal”, composto em 10 de Julho de 1950 –, ambos inseridos no seu derradeiro livro, Campo Aberto (1951), ainda que na obra nenhum deles apresente a dedicatória.
A foto que aqui se reproduz foi registada em 1 de Outubro de 2006, na Amadora, depois de uma tertúlia sobre Sebastião da Gama promovida pela nossa Associação na programação de uma Feira do Livro. - JRR

Em 10 de Abril, Sebastião da Gama faria 90 anos


No dia em que Sebastião da Gama faria 90 anos, Setúbal vai evocar o poeta na sede do município e em Azeitão, de acordo com programa que se apresenta:

10 de Abril, às 09h30 - sessão evocativa com deposição de flores na estátua de Sebastião da Gama, em Vila Nogueira de Azeitão, promovida pela Câmara Municipal de Setúbal.

12 de Abril, às 15h00 - passeio na Serra da Arrábida aos locais que serviram de inspiração literária ao homenageado, com declamação de poemas por Alexandrina Pereira, mediante inscrição no Museu Sebastião da Gama, em Vila Nogueira de Azeitão.

12 de Abril, às 21h00 - inauguração, no Museu Sebastião da Gama, da exposição “Outros Poemas de Sebastião da Gama”, organizada pela Associação Cultural Sebastião da Gama em parceria com a Autarquia.

12 de Abril, às 21h30 - concerto do coro municipal “Afina Setúbal” e do Coral Infantil de Setúbal no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Abril é mês de Sebastião da Gama, em "+Museu"


Abril é mês de Sebastião da Gama, a lembrar o mesmo mês de 1924, quando o poeta nasceu no dia 10, em Vila Nogueira de Azeitão.
Uma referência a Sebastião da Gama e à sua ligação à Arrábida pode ser lida na newsletter do projecto “+Museu”, editada pela Câmara Municipal de Palmela, na sua edição 27, alusiva a Abril de 2014.
Vá o leitor por aqui e descarregue o documento, que inclui uma fotografia de Sebastião da Gama a contemplar a serra, tirada quando tinha 19 anos. A poesia andava por ali…

quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2014

Dos poetas da Arrábida - Um encontro em Setúbal



Uma oportunidade para conviver com vários poetas que trataram a Arrábida. Um encontro em que participam Frei Agostinho da Cruz, Sebastião da Gama e Teixeira de Pascoaes, entre outros. Mesa farta de poesia, com arrábidos aromas, a não perder!

sábado, 8 de Fevereiro de 2014

Sebastião da Gama lido pelo Padre Manuel Frango de Sousa


Em Março de 1992, quando passavam 40 anos sobre a morte de Sebastião da Gama, o Padre Manuel Frango de Sousa, pároco de Azeitão, levou o seu grupo de cristãos a reflectir sobre a poesia e a mensagem de Sebastião da Gama. O texto, policopiado, como muitos outros que este investigador da história local produziu e partilhou, reproduz-se hoje, depois de ter sido lembrado e exposto por Joaquim Oliveira numa das contas do facebook que dedica a Azeitão.
Ontem, passaram 62 anos sobre a morte de Sebastião da Gama. Mas, como se pode ler pela reflexão do Padre Manuel Frango de Sousa, a sua mensagem mantém-se viva, porque actual.

domingo, 26 de Janeiro de 2014

Dos associados - Memória: Jorge Carlos Girão Calheiros Botelho Moniz (1924-2014)



No Público de ontem veio a notícia do falecimento do Dr. Jorge Carlos Girão Calheiros Botelho Moniz, nosso associado desde meados de 2008, que, aquando do falecimento de sua irmã, Maria Alice Botelho Moniz, nossa associada e colega e amiga de Sebastião da Gama, manifestou interesse em preencher a vaga deixada pela irmã na defesa do ideário de Sebastião da Gama.

Nascido em Setúbal a 23 de Abril de 1924 (treze dias depois de Sebastião da Gama), obteve a licenciatura em Direito em 1946. Desempenhou vários cargos públicos e foi presidente da Câmara de Setúbal entre 1955 e 1957.

sábado, 11 de Janeiro de 2014

"Diário", de Sebastião da Gama, 65 anos hoje - o primeiro registo

Como se tinha proposto, aqui fica o primeiro registo do Diário de Sebastião da Gama, datado de 11 de Janeiro de 1949. Para leitura. E, já agora, para servir de pretexto à leitura total da obra. Boas leituras, pois!


Janeiro, 11

Para começar, falou connosco durante uma hora o Senhor Dr. Virgílio Couto[1]. De acordo com o que disse, vão ser as aulas de Português o que eu gosto que elas sejam: um pretexto para estar a conviver com os rapazes, alegremente e sinceramente. E dentro dessa convivência, como quem brinca ou como quem se lembra de uma coisa que sabe e vem a propósito, ir ensinando. Depois, esta nota importantíssima: lembrar-se a gente de que deve aceitar os rapazes como rapazes; deixá-los ser: «porque até o barulho é uma coisa agradável, quando é feito de boa-fé».
Houve nesta conversa uma palavra para guardar tanto como as outras, mais que todas as outras: «O que eu quero principalmente é que vivam felizes».



[1] Virgílio Couto (1901-1972). Professor metodólogo, responsável pelo acompanhamento do estágio de Português de Sebastião da Gama na Escola Veiga Beirão. Nesta altura, era também subdirector da escola (cf. Diário do Governo, de 3 de Novembro de 1948). Foi autor de numerosas publicações de carácter didáctico, desgnadamente: Leituras (1948), Olhai que ledos vão...: a história de Portugal contada na prosa e nos versos dos escritores portugueses (1958) e Mar alto (1961). Alguns dos seus títulos foram adoptados como manuais escolares.

sexta-feira, 10 de Janeiro de 2014

Sebastião da Gama - um "diário" com 65 anos (e uma conferência a propósito)



Diário, de Sebastião da Gama, completa amanhã, 11 de Janeiro, 65 anos, isto é, passa esse aniversário sobre o primeiro registo diarístico da obra - em 11 de Janeiro de 1949.
"Para a agenda" deve ficar uma leitura desta obra ou, pelo menos, de um excerto, que pode ser logo o do primeiro dia...
Para assinalar a data, no Museu Sebastião da Gama, em Azeitão, vai haver palestra levada a cabo por Manuela Cerejeira, nossa associada e estudiosa da obra de Sebastião da Gama desde há anos. É pelas 15h00. Aceite o convite.

terça-feira, 26 de Novembro de 2013

Dos associados - Memória: Alberto da Conceição Fosco (1934-2013)



Alberto Fosco, um dos alunos de Sebastião da Gama que protagoniza o Diário (foi estudante na Escola Veiga Beirão) e nosso associado desde Abril deste ano, faleceu no início deste mês, em 5 de Novembro, notícia de que só agora tomámos conhecimento.
O Fosco, como Sebastião da Gama o refere no Diário, foi um dos alunos mais recorrentemente citados, surgindo-lhe a primeira referência logo no dia 28 de Janeiro de 1949:
«Hoje o trecho foi escolhido pelo Fosco (e de ora avante será quase sempre assim: eles é que sabem o que eles querem; e é esta uma maneira de se apurar o que nas antologias escolares vem fora de propósito).
'Homem ao Mar' [de D. Bernardo de Mesquitela] — um trecho apaixonante, intensamente dramático. Foi lido bastante bem pelo mesmo Fosco e a certa altura peguei eu nele. Posso julgar, pela atenção com que me escutaram, que à boa qualidade daquelas páginas se juntou a boa qualidade da minha leitura, de resto facilitada pelo interesse que eu próprio tinha nela. Mas isso não quis dizer de modo nenhum que o Fosco não se preferisse; reclamou que lhe pertencia a ele ler e foi ele quem levou o resto até ao ponto final.
Já não mandei contar: pedi ao Fosco que me dissesse por que gostou do trecho e os motivos que indicou foram um sinal de que compreendera onde estava a força e a beleza de 'Homem ao Mar'. Acabou a sua exposição falando sobre a vida do marítimo. E conseguiu, quando teve de citar um ou outro passo do trecho, o que eu acho que se deve então fazer: Contar o que se leu, não como quem leu, mas como quem viu.»
[Foto: pormenor da ficha do aluno Alberto Fosco, na caderneta de professor de Sebastião da Gama.]


Memória: Maria Irene Alves (1927-2013)



Maria Irene Alves entrou no curso de Românicas em 1946, tendo-se cruzado com Sebastião da Gama nos corredores da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e na amizade.
Ao longo dos anos, Sebastião da Gama foi, de resto, tema de muitas conversas de Maria Irene Alves, em testemunhos cheios de simplicidade, de afecto e de sorrisos. O poeta azeitonense foi um dos autores de poemas dedicados a Maria Irene Alves, publicados no Livro de Curso de 1946-1950.
Não tendo sido nossa associada, Maria Irene Alves participou em vários eventos levados a cabo pela nossa Associação, tendo também incentivado a divulgação da mensagem de Sebastião da Gama, mesmo já depois de aposentada, tempo em que dinamizou culturalmente a Casa do Professor, em Setúbal.