domingo, 26 de janeiro de 2014

Dos associados - Memória: Jorge Carlos Girão Calheiros Botelho Moniz (1924-2014)



No Público de ontem veio a notícia do falecimento do Dr. Jorge Carlos Girão Calheiros Botelho Moniz, nosso associado desde meados de 2008, que, aquando do falecimento de sua irmã, Maria Alice Botelho Moniz, nossa associada e colega e amiga de Sebastião da Gama, manifestou interesse em preencher a vaga deixada pela irmã na defesa do ideário de Sebastião da Gama.

Nascido em Setúbal a 23 de Abril de 1924 (treze dias depois de Sebastião da Gama), obteve a licenciatura em Direito em 1946. Desempenhou vários cargos públicos e foi presidente da Câmara de Setúbal entre 1955 e 1957.

sábado, 11 de janeiro de 2014

"Diário", de Sebastião da Gama, 65 anos hoje - o primeiro registo

Como se tinha proposto, aqui fica o primeiro registo do Diário de Sebastião da Gama, datado de 11 de Janeiro de 1949. Para leitura. E, já agora, para servir de pretexto à leitura total da obra. Boas leituras, pois!


Janeiro, 11

Para começar, falou connosco durante uma hora o Senhor Dr. Virgílio Couto[1]. De acordo com o que disse, vão ser as aulas de Português o que eu gosto que elas sejam: um pretexto para estar a conviver com os rapazes, alegremente e sinceramente. E dentro dessa convivência, como quem brinca ou como quem se lembra de uma coisa que sabe e vem a propósito, ir ensinando. Depois, esta nota importantíssima: lembrar-se a gente de que deve aceitar os rapazes como rapazes; deixá-los ser: «porque até o barulho é uma coisa agradável, quando é feito de boa-fé».
Houve nesta conversa uma palavra para guardar tanto como as outras, mais que todas as outras: «O que eu quero principalmente é que vivam felizes».



[1] Virgílio Couto (1901-1972). Professor metodólogo, responsável pelo acompanhamento do estágio de Português de Sebastião da Gama na Escola Veiga Beirão. Nesta altura, era também subdirector da escola (cf. Diário do Governo, de 3 de Novembro de 1948). Foi autor de numerosas publicações de carácter didáctico, desgnadamente: Leituras (1948), Olhai que ledos vão...: a história de Portugal contada na prosa e nos versos dos escritores portugueses (1958) e Mar alto (1961). Alguns dos seus títulos foram adoptados como manuais escolares.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Sebastião da Gama - um "diário" com 65 anos (e uma conferência a propósito)



Diário, de Sebastião da Gama, completa amanhã, 11 de Janeiro, 65 anos, isto é, passa esse aniversário sobre o primeiro registo diarístico da obra - em 11 de Janeiro de 1949.
"Para a agenda" deve ficar uma leitura desta obra ou, pelo menos, de um excerto, que pode ser logo o do primeiro dia...
Para assinalar a data, no Museu Sebastião da Gama, em Azeitão, vai haver palestra levada a cabo por Manuela Cerejeira, nossa associada e estudiosa da obra de Sebastião da Gama desde há anos. É pelas 15h00. Aceite o convite.