quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Joana Luísa da Gama, 90 anos, hoje

Joana Luísa da Gama, 90 anos hoje. Parabéns!
E uma novidade: será entregue amanhã na gráfica o livro Estala de saudade o coração (Lembranças de Sebastião da Gama e de Azeitão), reunindo as intervenções e memórias de Joana Luísa, obra editada pela nossa Associação e que terá apresentação pública brevemente.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Sebastião da Gama lido por Alexandre Santos e José Eduardo Franco


Na sua edição de Dezembro, a revista Brotéria publicou o texto “Literatura e evangelização, a propósito de um livro sobre Sebastião da Gama” (vol. 175, nº 6, pg. 475), assinado por José Eduardo Franco, contendo comentário à obra Sebastião da Gama: Milagre de Vida em busca do Eterno, de Alexandre Ferreira dos Santos (Lisboa: Roma Editora, 2008).
Apesar de neste blogue já ter sido feita referência a essa obra, é oportuno apresentar-se uma outra leitura, sobretudo tendo em conta a pluralidade e a actualidade de Sebastião da Gama. Desse artigo de José Eduardo Franco apresentam-se apenas alguns excertos, mas a sua leitura na íntegra também pode ser feita aqui.

«(…) Recentemente foi editado um livro de estudo sério e rigoroso que se inscreve exemplarmente no caminho desejável da compreensão de um grande poeta cristão e místico, como foi Sebastião da Gama. Mercê de um trabalho aprofundado de um padre dehoniano, Alexandre Santos, a literatura une-se à teologia para interdisciplinarmente compreender o sentido de uma obra poética que pulsa na procura do divino.
Com o título "Sebastião da Gama: Milagre de Vida em busca do Eterno", Alexandre F. Santos, professor, pároco e agora também revelando-se um exímio investigador, oferece-nos uma interpretação profunda daquela que muito bem caracteriza como sendo a poesia do otimismo e da esperança. (…)
Apesar de ter vivido a sua juventude atormentada pela doença e ameaçada pela morte iminente, o poeta místico que passou a residir, por conselho médico, na Serra da Arrábida, a que dedicará uma obra chamada "Serra-mãe", soube beber nas fontes profundas da espiritualidade cristã e na tradição mística católica de que a Arrábida foi lugar de inspiração de grandes místicos, como Frei Agostinho da Cruz, e não perder o encantamento pela humanidade e pela natureza. (…)
Marcado por uma incessante procura de Deus e por uma fé de sabor franciscano que tendia a ver o dedo divino em todas as coisas, Sebastião distinguiu-se entre os vultos dominantes da poesia portuguesa contemporânea pela diferença de olhar a vida. A poesia contemporânea de marca existencialista e vitalista é marcada predominantemente por um pessimismo atroz, frustrativo, hipercrítico, depressivo e, por vezes, autodestrutivo, exprimindo mais experiências de desilusão pelo Homem e pelo mundo do que sentimentos de elevação. (…)
Gama (…) consegue fazer caminho próprio e oferecer uma poesia assente num otimismo absoluto de fundo cristão. Afirma-se como um poeta capaz de cantar a grandeza do homem e da natureza, os valores da amizade e do amor que elevam as relações humanas, o casamento como forma de vida capaz de felicidade e a fé inquebrantável de uma vida outra para além da terrena que continua e otimiza em deleite o bem feito nesta vida terrena. (…)
Ao mesmo tempo, a sua poesia e o seu Diário "pedagógico e social" propõem uma espécie de manifesto para refundar as relações sociais e transformar a pedagogia escolar, colocando o aluno no centro e o amor como valor pedagógico axial. (…)
A atualidade de Sebastião da Gama é flagrante em tempo de crise como o nosso, tempo de descontentamento social e até de desorientação em termos educativos. É de grande valia, pois, o estudo e a proposta de revisitação de Sebastião da Gama feita pelo livro de Alexandre Santos, que contribui com obra de grande valor para o conhecimento da nossa história cultural e literária. Além do mais, oferece um bom exemplo de trabalho científico ao serviço da evangelização da cultura e do investimento na cultura esclarecida e iluminada, como forma de evangelização.»

Homenagem a Sebastião da Gama [no dia em que passam 61 anos sobre a sua morte]


Numa pedra sentado,
Com o olhar no horizonte,
Inspirando-te na Arrábida,
Que dos sonhos foi a fonte,

Sonhavas como ninguém,
Como ninguém tu escrevias.
Não sei se tiveste tempo
P'ra escrever o que sentias.

Com razão tu escreveste
"É pelo sonho que vamos”.
Neste mundo em que vivemos,
Já não sei o que sonhamos.

Sonhamos, não sonhamos,
Vamos ou não vamos?
Uma coisa nós sabemos:
É que um dia chegamos.

Quem ainda tiver sonhos
E pelo futuro aclama
Jamais o vai esquecer,
Poeta Sebastião da Gama.

Bento Passinhas
Azeitão, 14-03-2011

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama 2013 (XIV ª edição)



Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama
2013
REGULAMENTO
As Juntas de Freguesia de S. Lourenço e de S. Simão, de Azeitão, no concelho de Setúbal, decidem levar a efeito, no ano de 2013, a 14ª edição do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama, de forma a promover a criatividade no campo da poesia e a divulgar a obra do seu patrono, poeta e pedagogo, nascido nesta localidade.
São parceiros, neste evento, as seguintes entidades: Câmara Municipal de Setúbal, Associação Cultural Sebastião da Gama e Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense.
O Prémio reger-se-á pelo seguinte Regulamento, que será entendido como aceite por todos os candidatos:
1. O Prémio é único, de periodicidade bienal, e será atribuído a uma obra poética inédita, escrita em língua  portuguesa. 
2. O conteúdo temático das obras apresentadas a concurso é livre.
3. As obras concorrentes devem ter um mínimo de 15 e um máximo de 20 páginas, no formato A4, com espaçamento duplo entre linhas, em letra “Times New Roman”, tamanho 12.
4. Os originais concorrentes devem ser enviados em quatro exemplares, agrafados ou presos por qualquer outro meio similar, assinados com pseudónimo, até ao dia  8 de Março de 2013, para a sede da Junta de Freguesia de S. Lourenço, Rua Eng. António Porto Soares Franco, 2-A, Vila Nogueira de Azeitão, 2925-508 Azeitão, com a indicação de “PRÉMIO NACIONAL DE POESIA SEBASTIÃO DA GAMA”.
5. Cada candidato poderá concorrer com o máximo de um original, assinado com pseudónimo.
6. Os elementos de identificação dos candidatos (nome, idade, morada, e-mail e telefone), devem ser enviados em envelope fechado, a acompanhar os quatro exemplares da obra concorrente, indicando, no exterior do mesmo, o título da obra e o pseudónimo utilizado pelo concorrente.
6.1. Só serão abertos os envelopes contendo a identificação dos concorrentes vencedores, mantendo-se os restantes anexados aos trabalhos respectivos, nas condições expressas no ponto 13 deste Regulamento.
7. O prémio será atribuído por um júri de reconhecida idoneidade intelectual e literária, designado pela organização do Prémio.
8. O autor da obra premiada autoriza a sua publicação, sem pagamento de direitos de autor, em primeira edição, pela organização do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama, numa tiragem de 250 exemplares.
9. À obra distinguida será atribuído o prémio de mil e quinhentos euros (1500,00 €), a que acrescerão 50 exemplares da edição da mesma.
10. O júri poderá sugerir Menções Honrosas, no máximo de duas, se assim o entender. 
11. O prémio será divulgado na segunda quinzena de Abril de 2013 e a cerimónia de entrega ocorrerá em sessão pública, em Vila Nogueira de Azeitão, em 27 de Abril de 2013.
12. O premiado, na impossibilidade, devidamente justificada, de estar presente na cerimónia, deverá delegar a sua representação com documento legalmente reconhecido.
13. Os trabalhos não premiados, bem como os envelopes contendo a identificação dos respectivos concorrentes, poderão ser levantados na sede da Junta de Freguesia de S. Lourenço até ao dia 30 de Junho de 2013, procedendo-se à sua destruição após essa data.
14. Qualquer situação omissa será resolvida pela organização e da sua decisão não haverá recurso.

Juntas de Freguesia de São Lourenço e de São Simão
Azeitão, 4 de Fevereiro de 2013

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Memorial a Sebastião da Gama no Portinho da Arrábida



Memorial do Portinho da Arrábida, por Brito Alves (2012)

Quando em Novembro de 1981 um grupo de antigos alunos da Escola Veiga Beirão, de Lisboa, decidiu prestar homenagem ao antigo professor Sebastião da Gama, movimentaram-se diversos quadrantes, entre eles também antigos alunos da Escola Industrial e Comercial de Setúbal e também da Escola Industrial e Comercial de Estremoz.
A iniciativa ganhou dinâmica, bateu-se a diversas portas, algumas delas abriram-se e, seis anos depois, em Fevereiro de 1987, procedeu-se à inauguração do Memorial a Sebastião da Gama, no Portinho da Arrábida, próximo da antiga Estalagem de Santa Maria e junto às pedras onde normalmente o poeta se sentava para se inspirar, com o perfume da vegetação da sua Arrábida e o horizonte a perder de vista das águas do Portinho, na junção com o Sado e o Atlântico por fundo.
Para se atingir o sucesso da concretização da ideia, tomou-se necessário recorrer ao apoio de outras entidades, tais como a Junta de Freguesia de S. Lourenço, o pintor e escultor José Cândido através da sua graciosa colaboração, Dr. Jaime Neves com a cedência do terreno necessário e os antigos alunos das três escolas, com os seus donativos, com maior relevância para os da Veiga Beirão, onde o Gabriel Fernandes, o Ludovico Cândido e o Manuel Pires tiveram papel relevante.
Com o passar dos anos e em consequência das intempéries, o monumento foi-se deteriorando e as zonas limítrofes foram igualmente sendo vitimas dessas alterações climatéricas.
Temporariamente foram-se realizando algumas cerimónias junto ao Memorial e, sempre que possível, foram sendo feitos alguns arranjos de menor dimensão.
Até que recentemente e por gentileza da Sr.a Presidente da Junta de Freguesia de S. Lourenço, Dr.a Celestina Neves, que respondeu imediatamente ao nosso apelo, procedeu-se a uma reparação mais abrangente, ficando o monumento com excelentes condições para ser visitado e admirado.
Com a limpeza dos arbustos, a caiação das paredes e a recolocação dos pilaretes, tudo mudou de visual. E aqui há que salientar o precioso contributo de um membro da Junta de Freguesia, responsável pelo departamento de obras e arranjos, que teve um papel preponderante nestes trabalhos e a quem teremos de prestar a nossa justa homenagem. Trata-se do senhor Bento Passinhas, pessoa de excepcional entusiasmo, e que, ainda por cima, tem o condão de ser poeta, conforme o poema que noutro lado publicamos.
Porque estes acontecimentos só surgem graças à boa vontade e entusiasmo de diversas pessoas, aqui deixamos a expressão dos nossos agradecimentos e o nosso bem hajam.
Nicolau da Claudina

"Pelo sonho é que vamos" - Momentos do concerto em Azeitão


Do concerto do grupo e-Vox em Azeitão, na Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense, no dia 26 de Janeiro, ficaram momentos de entusiasmo, de poesia, de satisfação. Foi a música e a interpretação do e-Vox, foram as palavras cantadas de Sebastião da Gama, foi a voz de João Completo na leitura de poemas. Um tempo de encontro com o sentir e o dizer dos versos que têm o cunho do poeta de Azeitão. E também a oportunidade para apresentar o cd Pelo sonho é que vamos - e-Vox canta Sebastião da Gama, editado pela nossa Associação, na terra do poeta, depois de já ter sido apresentado em Setúbal no início de Dezembro.
Aqui ficam registos de alguns momentos através da objectiva de António de Almeida Conde.

e-Vox em concerto na SFPA

Alexandre Murtinheira (guitarra clássica, e-Vox)

Luís Alegria (flauta transversal, e-Vox)

Diná Peres (voz, e-Vox)

Salvador Peres (guitarra clássica e voz, e-Vox)

João Completo (actor)

Aspecto do público no concerto na SFPA