domingo, 3 de fevereiro de 2013

Memorial a Sebastião da Gama no Portinho da Arrábida



Memorial do Portinho da Arrábida, por Brito Alves (2012)

Quando em Novembro de 1981 um grupo de antigos alunos da Escola Veiga Beirão, de Lisboa, decidiu prestar homenagem ao antigo professor Sebastião da Gama, movimentaram-se diversos quadrantes, entre eles também antigos alunos da Escola Industrial e Comercial de Setúbal e também da Escola Industrial e Comercial de Estremoz.
A iniciativa ganhou dinâmica, bateu-se a diversas portas, algumas delas abriram-se e, seis anos depois, em Fevereiro de 1987, procedeu-se à inauguração do Memorial a Sebastião da Gama, no Portinho da Arrábida, próximo da antiga Estalagem de Santa Maria e junto às pedras onde normalmente o poeta se sentava para se inspirar, com o perfume da vegetação da sua Arrábida e o horizonte a perder de vista das águas do Portinho, na junção com o Sado e o Atlântico por fundo.
Para se atingir o sucesso da concretização da ideia, tomou-se necessário recorrer ao apoio de outras entidades, tais como a Junta de Freguesia de S. Lourenço, o pintor e escultor José Cândido através da sua graciosa colaboração, Dr. Jaime Neves com a cedência do terreno necessário e os antigos alunos das três escolas, com os seus donativos, com maior relevância para os da Veiga Beirão, onde o Gabriel Fernandes, o Ludovico Cândido e o Manuel Pires tiveram papel relevante.
Com o passar dos anos e em consequência das intempéries, o monumento foi-se deteriorando e as zonas limítrofes foram igualmente sendo vitimas dessas alterações climatéricas.
Temporariamente foram-se realizando algumas cerimónias junto ao Memorial e, sempre que possível, foram sendo feitos alguns arranjos de menor dimensão.
Até que recentemente e por gentileza da Sr.a Presidente da Junta de Freguesia de S. Lourenço, Dr.a Celestina Neves, que respondeu imediatamente ao nosso apelo, procedeu-se a uma reparação mais abrangente, ficando o monumento com excelentes condições para ser visitado e admirado.
Com a limpeza dos arbustos, a caiação das paredes e a recolocação dos pilaretes, tudo mudou de visual. E aqui há que salientar o precioso contributo de um membro da Junta de Freguesia, responsável pelo departamento de obras e arranjos, que teve um papel preponderante nestes trabalhos e a quem teremos de prestar a nossa justa homenagem. Trata-se do senhor Bento Passinhas, pessoa de excepcional entusiasmo, e que, ainda por cima, tem o condão de ser poeta, conforme o poema que noutro lado publicamos.
Porque estes acontecimentos só surgem graças à boa vontade e entusiasmo de diversas pessoas, aqui deixamos a expressão dos nossos agradecimentos e o nosso bem hajam.
Nicolau da Claudina

Sem comentários:

Enviar um comentário