sábado, 24 de dezembro de 2011

Boas Festas (e um poema inédito de Sebastião da Gama)

NATAL

Eu não tenho razão pra estar triste.
- Eu hoje sou a estrela e os Reis Magos
e sou a ovelhinha do Presépio...

Mas vou triste, Menino de Belém!
Não me lembro que faltam
trinta e três longos anos pra que eu seja
a dor que há-de matar a tua Mãe.

Sebastião da Gama, 25 de Dezembro de 1944

Sem comentários:

Enviar um comentário