Avançar para o conteúdo principal

ARRÁBIDA A PATRIMÓNIO MUNDIAL – REUNIÃO DO FÓRUM E DA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO

A reunião realizou-se no dia 10 de Outubro de 2011, no Cine Teatro São João, em Palmela. Presentes, além dos técnicos responsáveis pelas diversas áreas, estava o Presidente de Conselho de Municípios e Presidentes das Câmaras de Palmela e Sesimbra e um vereador da Câmara de Setúbal.
Do programa podemos salientar as palavras de boas-vindas aos participantes
e a apresentação dos premiados, e respectiva entrega dos prémios, nos concursos “Arrábida Foto” e “Arrábida Curtas e Documentários”.
Seguiu-se a análise do Relatório de GÉRARD COLLIN, perito junto da UNESCO e da UICN, realizado de 7 a 11 de Março de 2011. Este Relatório foi entregue em 31 de Março p.p. Esta missão e este Relatório foi um importante elemento de apoio à candidatura, contribuindo para realizar um balanço do percurso realizado e, simultaneamente, permitindo uma projecção do trabalho a desenvolver sobre o BEM Arrábida.
A apresentação deste Relatório esteve a cargo da Dra. Cristina Coelho. Foram abordados os seguintes pontos do referido Relatório: Área a candidatar; Metodologia; Calendarização; Especialidades: Comissão Executiva; Comissão Técnica; Plano de Gestão e Divulgação.
E chegara o momento da apresentação do trabalho do Centro de Biologia Ambiental sobre a fauna e flora da Arrábida, a cargo da Professora Otília, da Universidade de Ciências de Lisboa. Falou das unidades de Paisagem; das plantas notáveis (72 espécies); dos carrascais e outros matos calcícolas; dos carvalhais; dos zimbrais (plantas raríssimas em Portugal, mas que têm uma grande população na Arrábida); das encostas e falésias (ex-libris da Arrábida); das plantas carnívoras (2 espécies) e das orquídeas da Arrábida com habitats bastante ricos (há 30 espécies).
Abordou ainda a fauna da Arrábida. Foram inventariados 199 vertebrados e 652 invertebrados. Seguem-se as aves de rapina, o falcão, o morcego e borboletas... A terminar, e para agrado de todos os presentes, finalizou a sua brilhante exposição recordando Sebastião da Gama e o seu poema «Serra-Mãe»: “O agoiro do bufo nos penhascos,...”
Sobre o ponto da siuação do processo de candidatura, foi dito que a formalização da entrega do dossiê está prevista para 2013. No debate, que antecedeu o encerramento dos trabalhos, houve algumas intervenções da parte de alguns dos partiipantes. A Associação Cultural Sebastião da Gama foi a primeira a intervir, através do representante e elemento da Direcção presente, que manifestou a sua
satisfação pela qualidade dos trabalhos apresentados e garantiu que a nossa Associação iria, dentro das suas possibilidades, dar continuidade à colaboração que vem dando a este projecto, na Área do BEM IMATERIAL, através da divulgação da obra de Sebastião da Gama, mormente na relacionada com a SERRA-MÃE.
Encerrou a sessão o Presidente do Conselho de Municípios, agradecendo a presença de todos
os participantes e solicitando a continuidade desta colaboração. - MHS
[Foto: composição da Mesa que presidiu aos trabalhos.]

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dia 7 de dezembro - Assembleia extraordinária

"Pequeno poema" ou uma evocação do nascimento

"Pequeno poema" (Aqui e além. Dir: José Ribeiro dos Santos e Mário Neves. Lisboa: nº 3, Dezembro.1945, pg. 14)
O dia do nascimento quis perpetuá-lo Sebastião da Gama num dos seus textos poéticos. E assim surgiu “Pequeno Poema”, escrito em 7 de Maio de 1945 e, em Dezembro desse ano, publicado no terceiro número da revista Aqui e além e no seu primeiro livro, Serra Mãe, cuja primeira edição data também desse Dezembro. De tal forma a sua mensagem é forte, seja pela imagem da mãe, seja pela alegria de viver, que este texto aparece não raro nas antologias poéticas, temáticas ou não, como se pode ilustrar através dos seguintes exemplos: Leituras II [Virgílio Couto (org.). Lisboa: Livraria Didáctica, 1948?, pg. 74 (com o título “Quando eu nasci”)], Ser Mãe [Paula Mateus (sel.). Pássaro de Fogo Editora, 2006, pg. 45], A mãe na poesia portuguesa [Albano Martins (sel.). Lisboa: Público, 2006, pg. 310]. (JRR)

"Serra-Mãe", o primeiro livro de Sebastião da Gama

O primeiro livro de Sebastião da Gama foi Serra-Mãi (assim mesmo escrito), saído a público em Dezembro de 1945, com desenho de capa de Lino António, obra que muito cuidou e para a qual levou a preceito a selecção dos seus poemas.
Nesta altura, Sebastião da Gama, com 21 anos, era ainda estudante no curso de Românicas, na Faculdade de Letras de Lisboa. Tivera uma hipótese de a Livraria Portugália lhe editar o livro, mas, a 24 de Outubro, era-lhe dirigida uma carta, dizando que, naquele momento, não interessavam à editora “as publicações não integradas no plano” editorial, porque havia encargos com cerca de uma centena de originais, já pagos a autores e tradutores, e não havia como “dar vazão” a esse trabalho.
A família de Sebastião da Gama assumiu, então, os encargos financeiros advenientes da edição e o livro foi publicado com a chancela da Portugália, enquanto distribuidora. Com obra, dedicada a Alexandre Cardoso, seu tio, assumia o risco de vir a ser o “poeta da Arrábida”, elegendo a s…