sexta-feira, 19 de abril de 2013

Bento Passinhas em tributo a Sebastião da Gama


[No descerramento da lápide a assinalar a casa em que Sebastião da Gama nasceu, em Azeitão, levado a cabo em 10 de Abril por iniciativa da Associação Cultural Sebastião da Gama e da Junta de Freguesia de São Lourenço, Manuel Bento Passinhas, azeitonense, prestou tributo ao poeta seu conterrâneo no poema que aqui se reproduz.]

Bento Passinhas no momento em que lia o seu poema como tributo a Sebastião da Gama
(tendo, à sua direita, Pascale Lagneaux, da Junta de Freguesia de S. Lourenço, e, à sua esquerda, Celestina Neves,
da Junta de Freguesia de S. Lourenço, e João Reis Ribeiro, da Associação Cultural Sebastião da Gama)

Ao eterno Sebastião da Gama
Quando nesta casa nasceu
O mundo em nada mudou,
Mas Azeitão enriqueceu
Com este filho que abraçou.

Foi um filho para toda a vida
Que a Azeitão veio dar fama,
Para sempre vai ser conhecida
A terra de Sebastião da Gama.

Grande poeta, grande homem,
Para ele as crianças eram flores,
Neste nosso país em desordem,
Que falta nos fazem esses valores!

Pensou para além do que vivia,
Ensinou mais do que aprendeu,
A obra foi além do que se ouvia,
Da vida só a sua voz se perdeu.

Foram muitas as suas obras
Que se leram depois do adeus,
Muitos louvores apareceram
Dos filhos que não eram seus.

Curta foi a sua vida mas repleta,
Repleta de amor e sabedoria,
Tornou a sua Arrábida alfabeta
Com poemas que nela escrevia.

A Arrábida foi a sua princesa,
Foi a serra que ele protegeu,
Veio ao mundo na natureza
Quando nesta casa nasceu.

Bento Passinhas, 10-04-2013

Sem comentários:

Enviar um comentário