quarta-feira, 31 de março de 2010

Dos associados (4) - António Osório - e de outros

Quatro leitores ligados à poesia – por serem poetas ou por terem escrito sobre poesia – estão juntos na organização de uma antologia da poesia portuguesa publicada em 2009. São eles José Alberto Oliveira, José Tolentino Mendonça, Luís Miguel Queirós e Manuel de Freitas. A ideia surgiu com o patrocínio da FNAC, albergando mais de centena e meia de páginas, sob o título Resumo – A poesia em 2009 (Lisboa: Assírio & Alvim, 2010), por aqui passando 35 poetas portugueses contemporâneos com 115 poemas.

Que critérios? Uma nota de entrada esclarece: “O presente volume, a que desejavelmente se dará seguimento nos próximos anos, pretende ser uma antologia dos melhores poemas publicados em Portugal ao longo de 2009”. A escolha restringiu-se ao que foi publicado em suporte livro ou revista e é apenas “o simples somatório das preferências de quatro leitores”, sendo que, no índice, é indicado quem seleccionou o quê. Parte significativa dos textos é oriunda de publicações periódicas como Criatura (Lisboa: Núcleo Autónomo Calíope) ou Telhados de Vidro (Lisboa: Averno).

Do nosso associado António Osório surge o poema “A antiga pensão”, aqui posto pela escolha de Tolentino Mendonça, poema que constou no grupo de inéditos incluído em A luz fraterna (Lisboa: Assírio & Alvim, 2009). Também circulam nesta antologia seis poemas de José Carlos Barros – “As páginas dos romances”, “Se ao menos nevasse”, “Os monstros”, “Do que a vida poderia ter sido”, “Um poema antigo” e “Bernardo Soares” –, autor que venceu a mais recente edição do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama, em 2009, textos que resultaram de opções dos quatro leitores antologiadores.

As razões das opções são, portanto, individuais. Mas não há dúvida de que o leitor deste Resumo se confronta com um interessante conjunto do que foi a poesia portuguesa de 2009, por onde passam, além dos nomes já mencionados, os de A. M. Pires Cabral, Adília Lopes, Ana Salomé, António Barahona, António Madureira Rodrigues, António Ramos Pereira, Bénédicte Houart, David Teles Pereira, Diogo Vaz Pinto, Fernando Echevarría, Fernando Guerreiro, Herberto Helder, Isabel de Sá, João Almeida, João Luís Barreto Guimarães, Jorge Fazenda Lourenço, José António Almeida, José Tolentino Mendonça, Luís Filipe Parrado, Luís Serra, Manuel de Freitas, Miguel Martins, Nuno Rocha Morais, Paulo Teixeira, Pedro Braga Falcão, Renata Correia Botelho, Rosa Maria Martelo, Rui Almeida, Rui Miguel Ribeiro, Rui Pires Cabral, Tiago Araújo, Vasco Graça Moura e Vítor Nogueira. - JRR

1 comentário:

  1. Amigos poetas blogueiros, parabéns por utilizarem a internet como forma de dividir com o mundo o seu pensar, o seu compreender, desempenhando a missão do poeta que é se afirmar como ser humano, sobretudo perante si mesmo, captar os arquétipos coletivos de sua época e princípios universais, permitindo após compreender-se ou não compreender-se, que pela sua obra os da sua época tenham referência alternativa para fazer a leitura do mundo e as gerações posteriores entenderem a própria história da humanidade. Tudo temperado pelo sonho, pela sensibilidade e pela utopia. PASSOU A ÉPOCA DE ESCREVERMOS E GUARDAR NA GAVETA NOSSAS CRIAÇÕES DEPOIS DOS MAIS PRÓXIMOS FINGIREM TER LIDO PARA NOS AGRADAR. Através do meu blog quero aprensentar-lhes a video-poesia, que usa várias linguagens de uma só feita, a serviço do texto. Se gostar divulgue e compartilhe com os seus contatos. Acessar em:

    www.valdecyalves.blogspot.com

    ResponderEliminar