domingo, 23 de dezembro de 2012

"Pelo sonho é que vamos" é título de cd (1)



“Pelo sonho é que vamos” é, talvez, um dos versos mais conhecidos de Sebastião da Gama, que faz parte do poema “O sonho”, escrito no primeiro dia de Setembro de 1951. Universalizou-se o verso, de facto, numa homenagem que também tem de ser reclamada para Sebastião da Gama, seu autor. “Pelo sonho é que vamos” passou a ser também o título de um cd com poemas de Sebastião da Gama musicados por Salvador Peres e interpretados pelo grupo e-Vox, com a voz de Diná Peres, produzido pela Associação Cultural Sebastião da Gama.
Apresentado publicamente em 8 de Dezembro, na Casa da Cultura, em Setúbal, este cd integra sete poemas de Sebastião da Gama – “Quem me quiser amar”, “Nupcial”, “Rosas”, “Soneto do tempo perdido”, “Cantiga de amor”, “Anunciação” e “O sonho”, textos escritos entre 1944 e 1951 e surgidos em dois dos livros do poema, Serra Mãe (de 1945) e Pelo sonho é que vamos (póstumo, de 1953).
Além dos poemas, há duas peças instrumentais, “Mystic river” e “Murmúrios da Arrábida”, devidos a Alexandre Murtinheira, uma e outra peça pretendendo associar os espaços que configuraram a paisagem poética de Sebastião da Gama, o Sado e a Arrábida.
A parte gráfica do cd e do respectivo booklet vivem em torno do quadro que adoptou o verso como título, imaginado por dois pintores com intensas ligações a Setúbal, Eduardo Carqueijeiro e Nuno David, tela que foi pintada durante um concerto do e-Vox e posteriormente oferecida à Associação Cultural Sebastião da Gama, em exibição no Museu do poeta, em Azeitão.
Este projecto teve ainda a participação de Luís Alegria (elemento do grupo e-Vox, além dos três já mencionados), de David Neutel (na gravação e masterização) e de Jorge Calheiros e Augusto Pinheirinho (na composição gráfica e edição). Por outro lado, a publicação deste trabalho teve a parceria de quatro instituições: as duas Juntas de Freguesia de Azeitão (S. Simão e S. Lourenço), a Câmara Municipal de Setúbal e a Fundação Oriente.
A edição deste cd pela Associação Cultural Sebastião da Gama pretendeu, além de divulgar a poesia do poeta azeitonense e o trabalho do grupo e-Vox, assinalar os 60 anos da morte de Sebastião da Gama e o ano da candidatura da Arrábida a património mundial. – JRR

Sem comentários:

Enviar um comentário